Colunista|17.dez

Biofuncionalidade

Caro leitor, vamos dedicar nossa coluna desta semana ao morango, alimento bastante apreciado na culinária humana devido a sua aparência, textura e sabor característico.

Conhecido na linguagem popular como “morangueiro de jardim”, o morango foi cultivado pela primeira vez na Bretanha e noroeste da França, resultando do cruzamento de variedades nativas da América do Norte e Sul. A espécie Fragaria x ananassa, um hibrido natural resultante das espécies Fragaria chiloensis originária do Chile e Fragaria. virginiana, proveniente da América do Norte, é a espécie de morangueiro utilizada atualmente.

Botanicamente os frutos são classificados como secos, do tipo aquênio, apresentando apenas uma semente por fruto – os pontinhos pretos do morango. No ciclo reprodutivo, posteriormente a fecundação dos óvulos, estes originam os aquênios, que por mecanismos fisiológicos impulsionam o espessamento do receptáculo floral, tornando-os carnosos e constituindo o pseudofruto ou infrutescência, chamado morango.

Além do sabor, cor, amora atrativo e das baixas calorias que possui, o morango pode ser classificado como um alimento funcional (promove efeitos benéficos à saúde), com grande poder nutricional e terapêutico).

Compostos bioativos encontrados no morango como vitaminas, açúcares, proteínas, fibras, sais minerais, flavonoides e antocianinas, possuem a capacidade de promover o bom funcionamento do sistema digestório e contribuir para processos cicatrizantes. Podem, ainda, fortalecer o sistema imune atuando também como poderosos antioxidantes, anti-inflamatórios e hipocolesterolêmicos prevenindo doenças como o câncer e melhorando a qualidade de vida.

Lembrando que parte dos cultivares de morango necessitam de boa luminosidade para crescer, com pelo menos algumas horas de luz solar direta diariamente. O solo deve ser bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica, com pH entre 5,5 e 6,5. O plantio é realizado no fim do verão ao fim do outono dependendo da variedade e do clima da região através de mudas oriundas dos estolhos, podendo também ser propagado a partir de sementes.

Agora que já conhecemos um pouco mais sobre as propriedades deste tão saboroso fruto, vale ou não apena destinar um espaço em sua casa para cultivar algumas mudas de morangueiro e contribuir para o bom funcionamento do seu organismo? Você pode inclusive optar por plantá-lo em vasos ou mesmo na forma de um jardim suspenso e embelezando o seu espaço!

Gostou da dica? Então, mãos-a-obra!


por Cristiane Pawlowski Kuster

Guitarrista da 350ml, mestre em Letras.

Colunista|27.jan

Terrorismo Biológico

Colunista|23.jan

Carnaval no Nordeste

Colunista|22.jan

Colapso Ecológico

Colunista|13.jan

Um doce e gordo veneno

Colunista|13.jan

Vinhos de verão