Colunista|21.nov

BioMaquinaria

Prezado leitor, esta semana vamos novamente mergulhar no mundo sub fenomênico em escala nanométrica, para conhecermos uma das grandes maravilhas do mundo molecular: a poderosa nanomáquima biológica ATP sintetase mitocontrial (F-ATP sintase), uma elegante obra prima da micro engenharia.

Semelhante a um motor em grande escala formado por rotor, estator e eixo de transmissão, esse poderoso gerador high-tec, em escala micromolecular, a exemplo, dos motores a combustão engendrados pelo homem, é capaz de transformar a energia contida nos combustíveis (no nosso caso alimentos), em energia disponível não somente para reações biomecânicas, como também para os processos vitais.

O projeto de funcionamento é assim: quando nos alimentamos, nutrientes como a glicose, por exemplo, são recolhidas em nossas células a fim de serem oxidadas (espécie de reação de combustão que ocorre nos motores). Já no interior de uma organela chamada mitocôndria, a energia química contida nas ligações químicas dos metabólitos é utilizada para gerar um gradiente eletroquímico entre as membranas internas da mitocôndria onde situa-se a F-ATP sintase.

Esta diferença de potencial será o elemento propulsor para que o rotor da nossa espetacular nanomáquina gire apoiado no rotor, em torno do eixo de transmissão, cuja energia transmitida,  agora mecânica, será utilizada para a síntese de moléculas de adenosina trifosfato ou ATP, verdadeiras moedas energéticas que serão acumuladas nas células como num sistema bancário, sem as quais, a vida como a conhecemos, seria impossível.

Não é mesmo incrível que num universo diminuto existam estruturas orgânicas que se assemelham a máquinas criadas pela inteligência humana? É exatamente aí que vem a pergunta que não quer calar: nanomáquinas biológicas como a F-ATP sintase, as cinesinas e até os flagelos bacterianos, complexos sistemas de engenharia mecânica, seriam obra do acaso ou a mente de um Grande Projetista?

Seja lá o que você pense, é fato o que dizia um dos grandes gênios da mecânica clássica Sir Isaac Newton: “o que sabemos é uma gota, o que ignoramos é um oceano”.

Pense sobre isso, é tenha uma ótima semana!

 

Imagem destacada: revolutionarybehe


por Cristiane Pawlowski Kuster

Guitarrista da 350ml, mestre em Letras.