Cotidiano|03.out

Dica de leitura

Em “Nuevas Sensibilidades en América Latina: ensayos de Historia y Literatura”, Michel Kobelinski, Ramiro Zó, Claudio Maíz, Emiliano Matías Campoy, Fréderique Langue, Bruno Flávio Lontra Fagundes, Eliane Cristina Deckmann Fleck perguntam-se sobre a liberdade da palavra, sobre o mundo e suas referências e, sobre como é possível anunciar, mediante textualidades, a leitura/desleitura de uma experiência memorialística. Então, todos eles redesenham outro lugar da crítica, no qual a história oficial em latinoamérica pode ser impugnada.

Tal abertura aos ritmos inquietos, comoventes, dramáticos, fascinantes, modulados pela derrota, desencanto, terror, paixão, amores, sonhos, desejos forjam identidades e reelaboram percursos, pelos quais as sensibilidades deslocam-se ora aos sobressaltos, ora morosa, para formular os próprios relatos. Desta forma, a imagem do passado poderá ter pautas coletivas, desde outros pontos de partida. Os interstícios e as rasuras estão ampliados nos ensaios, porque modificam antigas monotonias. Por meio deles, inscrevem-se rupturas da insustentável homogeneidade, a fim de (re)contar nossa própria circunstância, o que afeta a linearidade, abre evidências sobre a representação de sujeitos, autores, textos e a invenção produtora de sentido dos acontecimentos.

Assim, o instrumental teórico interpretativo para estabelecer essa discussão, agora disponibilizado, mostra-se pela acuidade da escrita e culmina em convite ao leitor atento à relação entre discurso historiográfico e literatura, importante pauta que foi pensada mediante uma rede intelectual constitutiva de Novas Sensibilidades na América Latina. Fonte: Editora CRV

Prof. Michel Kobelinski

Michel Kobelinski. tem doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista (UNESP, 2008), pós-doutorado em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2014-15) e o curso de documentarista pela Academia Internacional de Cinema.

Realizou pesquisa participante (Antropologia) e constituiu coleção de objetos antropológicos (Museologia) para o Museu Regional do Iguaçu (Companhia Paranaense de Energia Elétrica-COPEL, Reserva do Iguaçu-PR). Docente permanente do Mestrado em História Pública (UNESPAR) e do Mestrado Profissional em Ensino de História (UNESPAR/UFRJ), campus de Campo Mourão; membro da Associação Nacional de Pesquisadores e Professores de História das Américas (ANPHLAC); é Professor de História da América (UNESPAR, campus de União da Vitória) e coordena o Grupo de Pesquisa Cultura & Sensibilidades. Atua como Editor-Gerente da Ensino & Pesquisa: revista Multidisciplinar de Licenciatura e Formação Docente e como membro do Comitê Científico de História e Geografia da Editora CRV.

Suas pesquisas têm como foco as seguintes áreas de conhecimento: História da América, História e Literatura, Histórica Cultural das Sensibilidades, Educação Patrimonial e Educação em Museus. Linhas de pesquisa em que atua: História e sensibilidades, Saberes históricos em diferentes espaços de memórias.

Para adquirir o livro Nuevas Sensibilidades en América Latina: ensayos de Historia y Literatura clique aqui


por Mônica Cordova