Colunista|09.nov

Mas o Brasil faz bons vinhos?

Sim!!! Excelentes vinhos são fabricados no nosso país, além de espumantes reconhecidos mundialmente.A diversidade climática típica de um país continental e a criatividade do brasileiro, conhecido pela capacidade de reinventar tudo, levaram o país a alcançar uma vitivinicultura completamente original. A tradição europeia, trazida ao Brasil por milhares de imigrantes, aliada ao investimento em inovação, resultou em vinhos com personalidade única. Cada zona produtora desenvolveu sua especialidade, elaborando rótulos com cultura, tipicidade e sotaque próprios.

Em comum, eles trazem o frescor de uma indústria jovem, formada por pequenos produtores, que fazem vinhos frutados, leves e com presença moderada de álcool. Esse estilo vem sendo descoberto e cada vez mais admirado mundo afora. Hoje, a área de produção vitivinícola no Brasil soma 79,1 mil hectares, divididos principalmente entre seis regiões. São mais de 1,1 mil vinícolas espalhadas pelo país, a maioria instalada em pequenas propriedades (média de 2 hectares de vinhedos por família).

O país se consolidou como o quinto maior produtor da bebida no Hemisfério Sul e certamente é um dos mercados que cresce mais rapidamente no globo. Os rótulos feitos aqui são alegres, jovens, autênticos, antenados e focados nas pessoas que procuram uma vida mais feliz e são atentas a novas experiências. É por isso que os vinhos brasileiros têm a cara do Brasil.

Sugestão:

VG Merlot

Produtor: Villaggio Grando
Tipo: Vinho Fino Tinto Seco
Uva: Merlot
País: Brasil
Região: Distrito de Herciliópolis, Município de Água Doce, Santa Catarina.
Graduação: 13,0% vol
Preço no Empório: R$ 89,00

Descrição: vinho de coloração rubi, brilhante, muito aromático e intenso. Aromas de frutas negras maduras, especiarias e chocolate. Vinho passa 24 meses em barrica de carvalho e seus taninos são macios, um bom equilíbrio entre álcool e acidez. Tem potencial de guarda, pode tranquilamente se guardado em local fresco e com pouca iluminação por, no mínimo, 5 anos.

Harmonização: Não é um vinho para ser consumido sem acompanhamento, devido ao seu corpo, pede o acompanhamento de uma carne gralhada ou um belo churrasco. Com certeza uma boa opção para acompanhar massas com molhos mais encorpados e queijos maturados.

Temperatura de consumo: 16°C, na porta da geladeira por meia hora ou 10 minutos no congelador. Use o decanter ou aerador antes de consumir, vinho deve ficar no decanter por, pelo menos, 30 minutos.


por Livia Maciel

Lívia Maciel, Sommelière pela ABS-RS, gaúcha e sócia do 1500 Empório e Vinhos na cidade de Guarapuava/PR.

Colunista|27.jan

Terrorismo Biológico

Colunista|23.jan

Carnaval no Nordeste

Colunista|22.jan

Colapso Ecológico

Colunista|13.jan

Um doce e gordo veneno

Colunista|13.jan

Vinhos de verão