Colunistas|15.out

O Equilíbrio Quântico

Caro leitor, vamos dedicar a coluna desta semana ao misterioso e filosoficamente perturbador mundo subfenomênico, cujo tamanho das entidades se perde em suas casas infinitesimais. Dedicando sua vida ao estudo deste universo atômico, diversos estudiosos como os físicos alemães Max Planck (1858-1947) e Albert Einstein (1879-1955), além do austríaco Erwin Schrödinger (1887-1961), fizeram emergir a Mecânica Quântica, uma das mais bem-sucedidas teorias já orquestradas pela ciência, cujas predições vem esclarecer comportamentos de partículas não abarcados pela mecânica clássica de Newton.

E fato notório que a Mecânica Quântica ocupa um espaço de destaque no mundo moderno, podendo-se citar como algumas de suas aplicações, a geração de energia nuclear, medicina, nanotecnologia, inteligência artificial, tecnologias de comunicação, processos de automação e até indústria bélica.

Uma vertente importante do mundo quântico, vem ganhando destaque no tratamento de algumas doenças através de terapia holística, cujo escopo visa o equilíbrio energético do paciente. Considerando-se que o corpo biológico ou físico e o corpo eletromagnético ou espiritual, estão interligados, possuindo uma natureza dual em estreita conexão e interdependência um com o outro, especialistas deste campo, acreditam que a doença representaria um descompasso energético entre o corpo biológico e o espiritual, cuja cura estaria na necessidade de restabelecer este equilíbrio.

Voltando nossa atenção novamente a Mecânica Quântica, cabe aqui descrever de forma sucinta alguns de seus princípios basilares:
1. Princípio da dualidade:  partículas quânticas tem uma dupla natureza, se comportando em determinada situação como partícula e, em outras como energia;
2. Princípio da incerteza: impossível determinar a posição e a velocidade de uma partícula quântica ao mesmo tempo. Tudo é probabilidade;
3. Princípio da observação: somente a incansável repetição de um fenômeno determina a realidade e, finalmente,
4. Princípio da conectividade: partículas quânticas que interagiram entre si, criam uma certa interdependência, mesmo a longas distâncias.

Para contextualizar, tomemos como exemplo destes princípios a célebre experiência mental de Schrödinger, imortalizada pela alcunha de “O gato de Schrödinger”.  Na ocasião, o físico autríaco imaginou colocar um gato dentro de uma caixa fechada com um dispositivo com 50% de chance de matar o gato em uma hora. Passado este tempo, o cientista se perguntou: qual o estado do gato?

Quanticamente se diria que antes de abrir a caixa as chances de o felino estar vivo ou morto seriam simultaneamente iguais, demonstrando a natureza dual do gato, que pode estar morto ou vivo ao mesmo tempo. Neste sentido, um resultado definitivo e único só viria após se abrir a caixa.

Fazendo uma reflexão, sobre os princípios da mecânica quântica e o quanto elas podem exercer uma influência salutar em nossas vidas, especialmente no alívio de alguns males que afligem a sociedade moderna, como os diversos transtornos de natureza psicossomática, pensemos que, diante de um desafio ou um dilema que nos aflige, que antes da caixa ser aberta, a probabilidade de encontrarmos um problema dentro dela é simultaneamente a mesma deste problema ser uma oportunidade de crescimento. A inexorável realidade somente virá à tona após ser consumada a observação. Portanto, seja positivo e não sofra por antecipação.

Lembre-se, que tudo dura o tempo necessário para que se transforme em aprendizado e, assim como os minúsculos “quanta” de energia, sua atitude pode, num universo de infinitas probabilidades, influenciar todos aqueles que num mesmo espaço tempo ocupam a mesma esfera, independente de distância. Que seja então, para restabelecer o equilíbrio e a cura.

Afinal, assim como as partículas quânticas, nossa natureza é fluída e resiliente, composta por muitas virtudes e qualidades sobrepostas.

Imagem destacada: Equilíbrio&Prosperidade


por Cristiane Pawlowski Kuster

Guitarrista da 350ml, mestre em Letras.