Cotidiano|23.mar

Produção de alimentos segue sem interrupção

A produção de alimentos não pode parar. Sendo assim, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em diálogo com o governo federal, solicitou um ato normativo que colocasse a produção de alimentos como atividade essencial, assim como o setor de saúde. No dia 20 de março, foi publicada a Medida Provisória 926, que altera a lei de enfrentamento do novo Coronavírus, inserindo procedimento para aquisição de insumos de emergência, ou seja, permitindo que atividades essenciais não parassem. Desta forma, a cadeia de alimentos foi contemplada, assegurando à população que a produção de alimentos vai continuar normal, o que não justifica a necessidade de se fazer estoques.
Em relação à logística, tanto da fazenda para os centros de distribuição, quanto das empresas e portos às propriedades rurais, o Decreto 10.282, de 20 de março de 2020, considera o transporte e entrega de cargas em geral também como atividade essencial.
Assim, o agro segue garantindo o abastecimento nas cidades brasileiras, sem nenhuma interrupção no processo produtivo, contribuindo na construção de medidas necessárias para a contenção do Coronavírus e segurança alimentar da população.
O prefeito de Guarapuava, César Silvestri Filho, também salienta que o Decreto Municipal não incluiu o setor de serviços, nem a indústria. “Foi determinado apenas o fechamento do comércio não essencial para eliminar a circulação de pessoas na cidade. O setor agropecuário está em plena safra, fazendo a colheita e entrega dos produtos nas cerealistas”.
O Sindicato Rural de Guarapuava lembra ainda aos produtores rurais, engenheiros agrônomos, médicos veterinários, técnicos, trabalhadores rurais e prestadores de serviços que tomem todos os cuidados com o Coronavírus: lave as mãos várias vezes ao longo do dia com água e sabão ou álcool gel 70%; ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com o cotovelo, principalmente no momento da colheita ou outra atividade relativa ao processamento ou manuseio da produção; evite contato com pessoas que estejam com sintomas de gripe (febre e tosse). Produtores e trabalhadores rurais com estes sintomas devem ser afastados das atividades. “Quem puder, fique em casa e siga os protocolos de segurança, saúde e higiene”, reforça o presidente Rodolpho Luiz Werneck Botelho.


por Gustavo