Entrevista|14.fev

Rosemeire Shima, sempre alerta!

por Jota Terres

Toda sexta-feira eu busco trazer ao T News histórias de pessoas que realmente nos inspirem. A correria do dia a dia faz com que muitas vezes esqueçamos nosso proposito como humanos, e foquemos somente nas ações profissionais. Rosemeire Shima é uma mulher que poderia dar mil desculpas para estar alheia a caridade, a ajuda ao próximo e ao ensino.

 

Rose, como é chamada pelos íntimos, nasceu em Loanda (PR), mas desde 2007 mora em Guarapuava (PR) com seu esposo e três filhos. É bacharel em Farmácia Industrial pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e, pós-graduada em oncologia clínica pelo Hospital Albert Einstein de São Paulo (SP).

 

Hoje, no Brasil existe cerce de 2 mil farmacêuticos que estão ligados ao trabalho da oncologia, Rose é uma delas. Desde a fundação da Clínica ANIMO (Antineoplásicos Injetáveis e Medicina Oncológica) em 2013, ela busca atender os pacientes da forma mais humana, respeitável e sensível possível.

 

“Aquilo que a gente puder fazer em favor do outro, na minha visão deve ser feito sempre da melhor forma possível”, afirma Rose. Mas, mesmo com todas as suas obrigações profissionais, Rose ainda tira tempo para os seus hobbies. O amor pela cozinha e a paixão pela corrida. Desde 2017, ela voltou a correr. Não para competir, mas como prazer pessoal e alívio do stress corriqueiro. E aos fins de semana, o que ela faz? Se engana se você pensou que ela se joga no sofá e espera o tempo passar, e olha, com tudo o que já faz, teria total direito a isso. Mas não.

 

Aos sábados ela é mestre. Mestre dos meninos e meninas pioneiros de 18 a 21 anos do valoroso Grupo de Escoteiros Guará Puava – 34º do Paraná. Talvez você só os conheça através dos estereótipos dos filmes e séries, onde geralmente os pequenos saem de porta em porta vendendo biscoitos. Mas saiba que as reuniões dos escoteiros estão longe de serem enfadonhas e/ou chatas, mas ao contrário disto, Rose e a equipe de chefes e líderes do grupo, busca o aperfeiçoamento juvenil de forma voluntária e através três bases: Deus acima de tudo, a Pátria como mãe e ao próximo como suporte.

 

“Como voluntária, desenvolve excelentes atividades pensando sempre no jovem, no desenvolvimento pessoal de casa um deles. É um exemplo para o nosso grupo. Força, responsabilidade, dignidade são apenas alguns dos adjetivos que posso associar a mestre Rose”, declara Cintia Batista Freitas, presidente do grupo escoteiro Guara Puava.

 

Rose é mãe de três e de outros tantos no grupo escoteiro, mas também no  grupo de mães que estão a frente da Ordem Demolay e da Filhas de Jó da cidade. Associado erroneamente muitas vezes ao secreto, hoje é sabido que tanto a Ordem Demolay, as Filhas de Jó e a Maçonaria são agrupamentos discretos e não secretos. A organizações não tem fins lucrativos, e seus membros trabalham através de princípios fraternais, filosóficos e, principalmente filantrópicos. Rose, Ana, Valentina, Érica, Gabrielle, Cristina, Mônica e tantos outros, são apenas nomes femininos, mas que, quando associados as histórias das mulheres que os carregam ganham o seu verdadeiro brilho. Espero que a vida da Rose lhe inspire da maneira que a sua vida realmente precisar. Que assim como os escoteiros, estejamos nos, sempre alerta!

 

 

Podcast – T News

 

A comunicadora Mônica Córdova conversou com a Rose nesta sexta-feira (14) no programa T News da Rádio T de Guarapuava. Ficou curioso(a) em conhecer mais desta brilhante história inspiradora? Então o ouça o podcast a seguir. Ah, e não deixe de compartilhar nas suas redes sociais!

 

 

 

 

 


galeria
galeria
galeria
galeria
galeria
por Jota Terres